Pandemia, crise capitalista e conjuntura nacional

Marxismo 21 organiza dossiê que reúne importantes publicações e reflexões sobre o momento atual

Por Marxismo 21 A conjuntura a nível global sofreu uma profunda alteração no início desse ano de 2020 com a pandemia, ainda em curso, do Covid-19. Espalhando-se rapidamente da China para o restante do mundo, em poucos meses, o novo coronavírus já contaminou ao menos 2 milhões de pessoas, matando mais de 150 mil delas, segundo a Organização Mundial de Saúde. Dessas mortes, mais de 30 mil ocorreram na maior potência capitalista do planeta, os EUA. Trabalhadores pobres e negros, negligenciados por um sistema de saúde excludente e indiferente às necessidades da maioria da população, representam uma larga parcela dessas vítimas por lá. Ainda sem uma solução definitiva para a doença, e com dezenas de milhares de casos surgindo ou se agravando a cada dia pelo mundo, não há perspectivas claras sobre o final dessa violenta pandemia, que está não só a expor as contradições do capitalismo como também a agravá-las. Isso porque, uma das formas mais adotadas pelos países para o combate ao Covid-19 e o não colapso de seus respectivos sistemas de saúde tem sido a suspensão de inúmeras atividades econômicas e a imposição de quarentena e isolamento social em larga escala. E, com a paralisação da produção e da circulação de mercadorias em diversos países simultaneamente, acelerou-se a chegada de mais uma crise capitalista, cujos sinais e indícios já eram notados por muitos analistas e estudiosos nos últimos anos. Esta crise é de uma magnitude e uma dinâmica pouco antes vistas. Derreteu trilhões de dólares das bolsas de valores em poucos dias; jogou as já baixas projeções de crescimento de quase todo o mundo para o terreno negativo; tem impactado violentamente a vida de milhares de trabalhadores pelo mundo, com demissões em massa, queda em suas receitas e piora nas condições de vida no geral. Não à toa, uma das respostas dos Estados e dos organismos internacionais do capital foi, além dos pacotes trilionários ao capital, a liberação de rendas básicas emergenciais, buscando minimizar os efeitos negativos na demanda em uma economia em crescente colapso e sem perspectiva de recuperação. E às incertezas do cenário econômico combalido pela pandemia se somam as incertezas e desafios do cenário político e geopolítico, altamente conflituoso. Nesse novo e dramático contexto global, encontra-se o Brasil e suas especificidades. A começar por seu governo federal, chefiado por Jair Bolsonaro, cuja radicalização política e ideológica tem sido uma aposta sua e de seus aliados e movimentos de base mais fiéis. Radicalização que, inclusive, ora nega, ora minimiza, a atual pandemia que já matou ao menos 2 mil pessoas no país e vem sobrecarregando o frágil e desigual sistema de saúde nacional. Mas, como se verbalizou através de alguns empresários bolsonaristas, o capitalismo brasileiro sempre levou em consideração o extermínio de parcelas da população – algo que esse atual governo está deixando abertamente mais explícito. A economia brasileira, que já amargava três anos consecutivos de estagnação, após uma histórica recessão, tem sentido os impactos da crise global que se desenha e de efeitos e determinações internas. A entrada em mais uma recessão é dada como certa, até mesmo com os pacotes estatais de emergência que estão a se construir, com maiores ou menores divergências, pelas classes dominantes. Assim como no resto do mundo, os trabalhadores no Brasil estão sofrendo ainda mais com o desemprego, queda nos salários e aumento da pobreza. Sem falar no governo, cada vez mais autoritário e reacionário. Ao mesmo tempo, os trabalhadores e suas centrais têm revelado, no terreno da luta de classes, reduzida capacidade de reagirem a tudo isso. A oposição e as organizações de esquerda brasileiras continuam a enfrentar grandes dificuldades para se consolidarem enquanto força política alternativa ao bolsonarismo. Importante observar, no entanto, que intelectuais e militantes marxistas no Brasil e no mundo têm buscado prontamente não só produzir análises e compreender essa nova e inédita conjuntura, como também se esforçado em construir e se somar às formas de organização e luta que estão a ganhar destaque atualmente. Essas organizações e lutas ocorrem em torno da defesa da saúde das classes exploradas e dominadas, por manutenção e ampliação de conquistas políticas e econômicas, ou mesmo para apontar saídas do sistema capitalista diante de mais uma gigantesca crise que se faz presente. Neste sentido, o coletivo marxismo21, mais uma vez, buscando ser um espaço e instrumento de debate e construção teórica e política marxista no Brasil, organizou um dossiê sobre o assunto. “Pandemia, crise capitalista e conjuntura nacional” busca reunir materiais, orientados pela teoria marxista e/ou trabalhos de crítica à ordem capitalista, que analisem a realidade nacional, os aspectos da pandemia, do capitalismo e suas contradições e tendências atuais, além do cenário político, das lutas e perspectivas da esquerda. Seus eixos temáticos são: Saúde, pandemia e capitalismo no Brasil; Crise brasileira atual, medidas governamentais e impactos econômicos; Classes sociais, Governo Bolsonaro, conjuntura política e a pandemia. Incluímos também dois eixos adicionais, Nova crise do capitalismo e pandemia no mundo e Tecnologia, vigilância e capitalismo pós-pandemia, que visa reunir contribuições significativas sobre a conjuntura do ponto de vista internacional. Sob a rubrica “questões da conjuntura nacional”, este dossiê será construído paulatinamente; novos materiais (livros, artigos, vídeos, áudios etc.) enviados ao blog serão inseridos após serem avaliados pela Editoria. Todas as contribuições enviadas devem, pois, apresentar concordância com a linha editorial de marxismo21 e os eixos sugeridos pelo dossiê.

I. Textos

1. Saúde, pandemia e capitalismo no Brasil América do Sul e o Covid-19: diferentes políticas, resultados opostos – Gilberto Calil Coronavírus: A falência do sistema capitalista e a defesa radical do SUS – Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto Crise do capital, crise sanitária, crise política, Elza Margarida Peixoto e outros De quarentenas e de infectados: um ponto fora da curva na luta contra o COVID-19 – Gilson Dantas Economia ou saúde: uma falsa dicotomia para silenciar o crime sanitário do capital – Eduardo Castilla O debate médico sobre a hidroxicloroquina e a irresponsabilidade sanitária de Bolsonaro – Gilson Dantas Pandemia e capitalismo – Luiz Fernando De Souza Santos 2. Crise brasileira atual, medidas governamentais e impactos econômicos “A generosidade com o capital contrasta com o absoluto descaso pelo ser humano”– entrevista com Plínio de Arruda Sampaio Jr. A MP 936: espoliação e morte – André Guiot A Pandemia, a Recessão, as Medidas Burguesas e a Reação dos Trabalhadores no Mundo e no Brasil – Cem Flores Darwinismo social, epidemia e fim da quarentena – Roberto Leher MP 927: da pandemia ao pandemônio – Jorge Luiz Souto Maior O Brasil na geopolítica mundial da Covid-19 e do caos sistêmico – Carlos Eduardo Martins Política humanista? – Juliana Paula Magalhães Política de morte: a defesa da reabertura das escolas, Roberto Leher Pré-história, pós-pandemia e o que virá – Mauro Iasi Revista Contracorrente: Pandemia do Coronavírus: uma tragédia anunciada – ILAESE Saúde versus economia: uma falsa oposição, Luiz Filgueiras e Graça Druck 3. Classes sociais, Governo Bolsonaro, conjuntura política e a pandemia A cavalaria verde-oliva não virá para nos salvar – Igor Grabois A crise acelerada – Osvaldo Coggiola e Edgar Azevedo A famiglia no poder – Lincoln Secco A resistência das favelas e periferias em tempos de pandemia: solidariedade, reforço da organização popular e redes de ajuda mútua – Cem Flores As frações burguesas na crise do Covid-19: apontamentos preliminares – André Flores Penha Valle e Octávio F. Del Passo Bolsonaro aposta no caos – David Maciel Coronavírus e a crise do capital – Virgínia Fontes Mercadores da morte: a ação empresarial contra o isolamento social – Elaine Bortone e Rejane Carolina Hoeveler Os empresários bolsonaristas do Instituto Brasil 200 e o desprezo pela vida – André Guiot Pandemia como oportunidade: a CNI e a defesa da devastação dos direitos sociais – André Guiot Quem fará a ruptura no Brasil? – Milton Pinheiro Ricardo Antunes e o proletariado em tempos de pandemia – Tarso de Melo 4. Nova crise do capitalismo e pandemia no mundo A culpa é do vírus – Michael Roberts A queda dos mercados emergentes – Michael Roberts A queda pós pandêmica – Michael Roberts Bem-vindo ao deserto do viral! Coronavírus e a reinvenção do comunismo – S. Zizek

Coronavírus, dívidas e depressão – Michael Roberts Coronavírus: como vencer o capitalismo que se abastece de desastres? – Naomi Klein Crise do coronavírus: o colapso iminente – Tomasz Konicz Crise estrutural no ocaso do capitalismo – Eleutério F. S. Prado Cuba e o coronavirus, Luiz Bernado Pericás Epidemia econômica: Covid-19 e a crise capitalista – Maurilio Lima Botelho Não podemos deixar a Covid-19 nos levar ao autoritarismo – Noan Chomsky O capitalismo tem seus limites – Judith Butler O colapso – Anselm Jappe O coronavírus e a luta de classes: o monstro bate à nossa porta – Mike Davis Política anticapitalista em tempos de coronavírus – David Harvey Sobre a situação epidêmica – Alain Badiou Uma economia de guerra? – Michael Roberts 5. Tecnologia, vigilância e capitalismo pós-pandemia Capitalismo de vigilância: defesa da democracia não pode esperar por fim da pandemia – Sérgio Amadeu Edward Snowden prevê futuro distópico após a epidemia de COVID-19 – André Miguéis No tempo da catástrofe, capitalismo de vigilância avança sobre a educação no Brasil – Lavits A distopia da aceleração está a caminho? – Rafael Evangelista II. Audiovisual A crise do coronavírus e o futuro do neoliberalismo – Alfredo Saad-Filho e Danilo Martuscelli A Crise e a Vida dos Trabalhadores – Maurício Mulinari A grande crise que se avizinha – Nildo Ouriques e Daniel Corrêa da Silva A pandemia e a ameaça totalitária – Cid Benjamin, Felipe Demier, Valério Arcary, Rejane Hoeveler Café Bolchevique – Mauro Iasi Coronavírus e a crise econômica mundial – Leda Paulani Covid-19 e a barbárie neoliberal no Brasil – Boaventura de Sousa Santos Covid-19: isolamento espacial, tensões sociais e violência doméstica – Silvia Santiago, Natália Corazza Padovani, Sávio Cavalcante Educação vigiada – Sérgio Amadeu, Leo Cruz e Filipe Saraiva Entrevista com Ruy Braga sobre carteira verde amarela e a atual situação dos trabalhadores no Brasil Feminismo & Marxismo – Crise econômica, Covid-19 e as mulheres – Diana Assunção, Daphnae Helena e Simone Ishibashi Impactos políticos da crise sanitária – Virgínia Fontes, Guilherme Boulos e Gabriel Casoni Mulheres e o Cononavírus: trabalho doméstico, desemprego, violência – Tatianny Araújo, Iza Lourença, Luciana Boiteux Neoliberalismo e autoritarismo no governo Bolsonaro – Eliel Machado e Danilo Martuscelli Pandemia, crise e desafios dos trabalhadores – Ricardo Antunes Redes virais, padrões e pandemia. Episódio de Podcast Tecnopolítica Ricardo Antunes sobre Bolsonaro e o capitalismo brasileiro na pandemia Tecnologias de Vigilância e a Pandemia – Sérgio Amadeu e Rafael Evangelista Virgínia Fontes sobre Bolsonaro e o capitalismo brasileiro na pandemia

31 visualizações

© 2020 - Observatório Da Crise / Fundação Lauro Campos e Marielle Franco

Alameda Barão de Limeira, 1400, Campos Elíseos, São Paulo (SP)